A CASA DE TUPÃ

Hotel

A CASA DE TUPÃ

Kûara, que em tupi-guarani significa o sol, traz muita luz e reverência à origem do povo brasileiro. Valorizando a cultura nativa local, o hotel preocupou-se, também, com a preservação da natureza, reutilizando muito da estrutura do antigo empreendimento e explorando a vegetação tropical.

David Guerra
Arraial D’Ajuda, BA

O projeto é marcante pela contemporaneidade e pelo diálogo entre os detalhes arquitetônicos e de interiores que resgata a bossa brasileira. Em uma diversidade de espécies, como cumaru, tatajuba, ipê e peroba, a  presença da madeira perpassa os elementos estruturais – pisos, forros, brises, venezianas e painéis -, mobiliário e detalhes, imprimindo uma estética repleta de nuances e tramas, na qual os hóspedes são convidados a imergir, em um valoroso trabalho de marceneiros discípulos do mestre Zanine Caldas.

A passarela liga a recepção à área de lazer e conduz o hóspede no jogo de volumetria arquitetônica que conecta toda a estrutura do empreendimento, em meio aos elementos naturais e com o cenário tropical. 

A área de lazer mimetiza-se ao cenário praiano e disponibiliza entre as atrações:  piscina com 500 m² e borda infinita que cria a sensação de conexão com o mar; deque de madeira para descanso e os banhos de sol, sauna e, logo à frente, na faixa de areia da Praia de Pitinga, é possível relaxar em espreguiçadeiras e chaises, sentindo a brisa e o som das ondas.

O restaurante à beira-mar é um dos pontos altos do projeto. Com mais de 400 m² e capacidade para mais de 100 pessoas, o local possui adega independente, ricamente detalhada à vista, que reúne estética decorativa ao elemento funcional. Outro destaque é o conjunto de 130 luminárias, produzidas artesanalmente por artesãos da região, que resulta em um conjunto orgânico e harmônico, criando efeitos de luz e movimento. 

Já no bar da praia, as luminárias são de, rodas de fibra de coco com diâmetro de um metro, permeáveis em dois sentidos, que deixam a luz se espalhar pelo ambiente à noite.

São 46 quartos, entre 35 e 69 m², além de mais 4 suítes de 139m², que incluem sala de estar, varanda, cozinha equipada, lavabo e varanda com mesa para 10 lugares e dois sofás de balanço. Em uma proposta multicultural, autêntica e atemporal, os materiais naturais e artesanais – bambu, fibras naturais, palha, vime, couro, pedras brasileiras – fazem contraponto aos revestimentos italianos nos pisos e banheiros. 

A delicadeza, a riqueza de detalhes, a personalização e, também, o luxo encontram-se em todas as acomodações, como as cabeceiras de cama trabalhadas em tressê de couro por

A vegetação nativa foi preservada e incorporada ao projeto em um composição que contempla a diversidade de espécies e a exuberância de tonalidades, texturas e  folhagens.

Projeto arquitetônico: David Guerra (@davidguerra_arquiteto)
Projeto paisagístico:  Felipe Fontes (@flp.paisagismo)
Projeto Luminotécnico: Monica Rohlfs (in memoriam)
Localização: Arraial D’Ajuda, Porto Seguro, BA
Texto Janaína Silva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima